quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Uber, o caminho da moderna escravidão de taxistas

Essa notícia já tem mais de um ano, porém é a pura realidade, nós taxistas estamos sendo engolidos pelo império capitalista americano que não perdoa nada e ninguém...



“Primeiro, os nazistas prenderam os comunistas, como eu não era comunista, me calei. Depois, eles pegaram os judeus e os sindicalistas, como não era judeu nem sindicalista, não me manifestei. Prenderam os católicos e, como eu era protestante, fiquei calado. Quando vieram me buscar… Não havia ninguém para protestar” (Martin Niemoller).
O que está por traz do aplicativo Uber, criado há cinco anos nos Estados Unidos e que vale mais do que a Petrobrás? Os donos do Uber são a Microsoft e a gigante da mídia indiana, Índia Bennett Coleman & Cia. O Uber foi avaliado por 51 bilhões de dólares, (R$ 178 bilhões de reais). A Petrobras, maior empresa brasileira, vale R$ 140 bilhões de reais.
O Uber é um negócio multimilionário que pretende transformar taxistas do mundo todo em escravos do século 21. Num primeiro momento o Uber, pratica a pirataria, autorizando veículos de particulares a prestarem serviços de transporte de passageiros, em desrespeito a todas as legislações nacionais e municipais, objetivando forçar os taxis a aderirem ao seu sistema.
Como meio de transporte público individual, o Uber se tornou uma multinacional atuando em escala global. A lógica é simples. A média mundial é de um taxi para cada 350 habitantes. Há, portanto, cerca de 20 milhões de taxis no mundo.
Enquanto promove irregularmente o serviço de taxi clandestino, o Uber mira os taxistas. Objetiva ficar com 20 % do faturamento diário deles. Se os 20 milhões de taxistas do mundo, faturam bruto, o equivalente a 500 dólares diários (incluindo combustíveis, manutenção e etc) trabalhando 24 horas, o Uber pretende apropriar-se de 100 dólares de cada taxi, (US$ 200 milhões por dia). No ano são 73 bilhões de dólares, ou R$ 255 bilhões de reais.
O Uber aposta na fraqueza dos governos municipais, na manipulação da opinião pública, através da grande mídia. As reportagens, compradas a preço de ouro, exaltam as vantagens do sistema, fazendo com que milhões de pessoas, iludidas, baixem o aplicativo no celular, passem a utilizá-lo e a defende-lo como o caminho da modernidade sem volta.
Agora são os taxistas que caminham para a escravidão moderna, amanhã serão os donos das pizzarias e, no futuro, quando não houver mais ninguém para protestar, todos nós. Cuidado, como no refrão da canção sertaneja que diz: “O cowboy vai te pegar”





terça-feira, 6 de setembro de 2016

Destruir taxistas tem um objetivo: o carro autônomo


É esse caminho que muitos relutam em acreditar, incluindo os que se dizem parceiros do transporte clandestino. Eles não são parceiros de ninguém. Apenas estão utilizando os motoristas para que colaborem no banco de dados que estão levantando, para brevemente lançar o carro autônomo e dispensá-los de uma forma magnífica. E para os consumidores e políticos que defendem essa concorrência desleal e predatória, esperamos que não fiquem à mercê deles, pois não terão piedade em cobrarem o que querem, já que dominarão o mercado.
E se os que defendem a tal da empresa duvidam do que estamos postando abaixo, que procurem notícias no mundo inteiro que tratam desse assunto. Ou acham que tudo é uma grande mentira? E vamos torcer que a economia melhore, para que arrumem empregos decentes e legais. E também esperamos que, até que tantos desempregados estejam em atividades de acordo com o que gostariam, o parque instalado de táxis e carros particulares utilizados pelo APP não esteja totalmente sucateado, quase impossibilitando a recuperação da imagem que temos de que estamos entre os melhores serviços de táxi do mundo, de acordo com pesquisa realizada pela “hoteis.com” com viajantes que vem à São Paulo.
Fonte: