domingo, 24 de agosto de 2014

Desafio do balde de gelo dá errado e bombeiros são eletrocutados

Para fazerem o tão famoso Desafio do Gelo, bombeiros subiram em uma escada magirus. O problema foi que eles chegaram perto demais da fiação elétrica e acabaram eletrocutados

Quatro bombeiros ficaram feridos – dois deles seriamente – após um desafio do balde de geloque deu errado nos EUA. Os bombeiros foram ajudar estudantes de uma faculdade a realizar o desafio, que consiste em jogar um balde de gelo na cabeça para conscientizar sobre a esclerose lateral amiotrófica. Entretanto, eles posicionaram sua escada perto de mais da rede elétrica, e receberam um choque após jogarem a água nos jovens.
O “ALS Ice Bucket Challenge” virou moda nos EUA e em todo o mundo após diversas celebridades publicarem seus vídeos na internet e desafiarem outras pessoas. O desafio visa conscientizar e arrecadar dinheiro para o estudo da esclerose lateral amiotrófica, mal degenerativo também conhecido como doença de Lou Gehrig.
O caso aconteceu em Campbellsville, no Kentucky. Os bombeiros tinham acabado de jogar a água gelada sobre os estudantes da universidade local e baixavam a escada do caminhão quando receberam o choque. Os dois bombeiros que estavam na extremidade da escada, identificados como Simon Quinn, de 22 anos, e Tony Grider, de 41, tiveram várias queimaduras e estão internados em hospital universitário. Outros dois socorristas - Steve Marrs, de 37 anos, e Alex Johnson, de 28, também ficaram feridos, mas sem gravidade. Eles foram liberados.
Simon Quinn (esquerda) e Tony Grider
Simon Quinn (esquerda) e Tony Grider
Um segue em estado crítico, enquanto o outro está estável, segundo a polícia local. Nenhum estudante ficou ferido.
Cerca de 100 alunos da universidade e outras pessoas da cidade se reuniram nesta quinta-feira (21) para rezar pela recuperação dos bombeiros.
Estudantes rezam por bombeiros eletrocutados em desafio do balde de gelo
Estudantes rezam por bombeiros eletrocutados em desafio do balde de gelo
ELA
A síndrome é complexa e não há cura, nem tratamento específico. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 5% a 10% dos casos são genéticos.
Ao ser descoberta a doença, os primeiros sintomas são câimbras e fraqueza muscular. Lentamente, a pessoa começa a piorar e, sem força muscular, fica sem poder andar. No estágio avançado da doença, pode-se ter dificuldade até para deglutir um alimento e engolir saliva.
Atualmente, com cuidados especiais, traqueotomia e ventilação controlada, há casos com mais de 25 anos de evolução. 20% dos pacientes sobrevivem seis anos.
Outras informações sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) podem ser encontradas no site daAssociação Pró-Cura da ELA no Brasil.
Fonte: AP / G1

Fotos de bumbum de fora viram moda em casamentos dos Estados Unidos


Madrinhas de bumbum de fora
Madrinhas de bumbum de fora Foto: Reprodução/Internet
Expresso
Tamanho do texto A A A
As tradicionais fotos posadas, comportadas e sérias nos casamentos estão ficando cada vez mais fora de moda nos Estados Unidos. Agora, por lá, está virando tendência uma prática para lá de esquisita. As noivas e as madrinhas estão optando por ensaios fotográficos mais descontraídos, mostrando seus bumbuns para as lentes.
Com milhares de compartilhamentos nas redes sociais nos Estados Unidos, as fotos chegaram ao Reino Unido e a moda também está pegando em solo britânico. A ideia é mostrar o lado sensual dos casamentos, com as noivas e madrinhas mostrando, além dos seus atributos, as lingeries escolhidas para o grande dia.
Madrinhas mostram atributos para a câmera
Madrinhas mostram atributos para a câmera Foto: Reprodução/Internet
Nessa, nem a calcinha apareceu
Nessa, nem a calcinha apareceu Foto: Reprodução/Internet
Noiva também mostrou
Noiva também mostrou "demais" Foto: Reprodução/Internet

sábado, 16 de agosto de 2014

Empresa investiga uso de aplicativo para ofertas sexuais a taxistas no Rio e em SP

Usuários da ferramenta oferecem aventuras sexuais em mensagens.
Abordagem obscena incomoda os profissionais, que condenam o ato.


Taxistas que trabalham no Rio  e em SP estão sendo assediados por meio de aplicativos de celular criados para facilitar o transporte de passageiros. Mensagens com oferta de programas sexuais estão sendo enviadas com a solicitação de corrida. Há quem ofereça dinheiro para que o taxista aceite a proposta. Uma das empresas, a Easy Táxi, diz que investiga o caso e toma medidas para coibir o mau uso. 


Muitos usuários do aplicativo oferecem pagar por sexo oral com taxistas (Foto: Arquivo pessoal)

“É um desrespeito com a gente que está trabalhando. O aplicativo não serve para isso. Já tive vontade de aceitar a corrida e ir até a pessoa tirar satisfação”, reclamou um taxista de 53 anos que não quis se identificar.



Rapaz que se identifica como Patrick se oferece para taxistas (Foto: Arquivo pessoal)

Segundo os motoristas ouvidos pelo G1, a maioria das mensagens são de oferta de sexo oral, inclusive "cantadas" gays. “Para saber quem é o passageiro tem que aceitar a corrida. Aí podemos ver até o telefone da pessoa”, contou outro taxista que também não quis revelar o nome.

“A primeira vez que vi esse tipo de chamado fiquei chocado. Mas, depois de 10 anos no táxi, onde várias vezes me fizeram esse tipo de proposta indecente, acho que o choque mesmo foi ver que eles agora se valem da tecnologia para fazer o que já faziam antes”, falou o taxista Saulo Falconere, 35 anos.

Alguns taxistas mostraram mensagens recebidas via aplicativo para a reportagem doG1. Os textos mostram que turistas e casais também tentam se valer da tecnologia para buscar aventuras sexuais. “Sou turista, piloto de aeronave, e pago 400 reais no sigilo pra [fazer sexo oral com] taxista. Estou em hotel”, propôs um usuário do aplicativo.

Taxista pode denunciar
Por meio de nota, a Easy Táxi esclareceu que investiga a situação internamente e que condena qualquer uso do aplicativo que não seja para a finalidade proposta: facilitar a mobilidade urbana. A empresa destacou ainda que bloqueia os usuários que não ajam conforme as regras de uso da ferramenta. Para isso, o taxista precisa denunciar, no próprio aplicativo, o perfil de quem envia tais mensagens. A assessoria de imprensa da Easy Táxi não soube informar se situação semelhante acontece com taxistas de outras cidades do país.




Suposta casal de turistas propõe orgia com taxistas por meio do aplicativo (Foto: Arquivo pessoal)

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Parceria entre Easy Taxi e Waze facilita a chegada aos destinos.

Passageiros e motoristas poderão compartilhar suas corridas por meio da ferramenta “Enviar percurso”

Já imaginou estar atrasado para o encontro com os amigos e ficar preso no trânsito? Uma parceria entre a Easy Taxi e o aplicativo de trânsito Waze promete agilizar a sua chegada ao destino.

A intenção é incentivar que passageiros e taxistas utilizem o Waze durante o trajeto, já que o app permite compartilhar informações de trânsito das vias em tempo real, economizando as horas de quem não tem tempo a perder.

Passageiros e motoristas poderão compartilhar suas corridas por meio da ferramenta “Enviar percurso”. O uso é simples, do Waze, o taxista poderá dividir o trajeto para que o passageiro acompanhe em tempo real e tenha a estimativa do tempo de chegada e possível atraso. 

Image Image 

"Nossa parceria com a Easy Taxi nos permite continuar a lutar por segurança, somos capazes de oferecer aos nossos usuários a forma mais segura para chegar em casa e ainda desfrutar dos nossos benefícios”, afirma Julie Mossler, diretora de comunicações do Waze.

A parceria também faz parte da campanha #euamotaxi, que a Easy Taxi lançou na última semana, com o objetivo de incentivar o uso de táxis para diminuir o trânsito nas grandes cidades.

“O Waze é um aplicativo extremamente complementar à Easy Taxi”, comenta Paul Malicki, CMO da Easy Taxi.

“Acreditamos que com mais praticidade e conforto, incentivaremos o uso deste modal de transporte, com foco na segurança, na direção consciente e na melhora da mobilidade urbana”, afirma Dennis Wang, co-CEO da Easy Taxi.


Image

domingo, 10 de agosto de 2014

Lenda do boxe, Frank Maloney fará mudança de sexo: ‘Nasci no corpo errado

Kellie Maloney Foto: Reprodução / Twitter / @stegannon

Frank Maloney Foto: Reprodução / Twitter / @Sport10internet

"Chocado!", disse um internauta Foto: Reprodução / Twitter

Capa do jornal com a história de Maloney foi compartilhada em redes sociais
Capa do jornal com a história de Maloney foi compartilhada em redes sociais

Extra
Tamanho do texto A A A
O ex-pugilista e um dos maiores empresários do boxe, Frank Maloney, de 62 anos, vai se submeter a uma cirurgia de mudança de sexo. O inglês, que já foi casado duas vezes e é pai de três filhos, afirma que agora se chamará Kellie. A notícia chocou os fãs do esporte, que usaram as redes sociais para comentar o caso. As informações são do jornal The Sunday Mirror.
“Eu nasci no corpo errado e sempre soube que era uma mulher. Eu não posso continuar vivendo nas sombras. É por isso que eu estou fazendo isso hoje. Viver com este fardo por mais tempo poderia ter me matado”, afirmou ao jornal o ex-lutador, que afirma sempre ter lutado para ocultar seu “espírito feminino”.
Maloney não foi um grande nome como pugilista, mas se consagrou como um dos maiores empresários do esporte, tendo agenciado a carreira de Lennox Lewis, ex-campeão mundial peso-pesado de todas as organizações do boxe. Agora, seu novo desafio será passar pelos últimos procedimentos para a mudança de sexo.
Frank ao lado de Lennox Lewis
Frank ao lado de Lennox Lewis Foto: Max Nash
“O que havia acontecido de errado no meu nascimento está sendo medicamente corrigido. Eu tenho um cérebro feminino. Eu sabia que era diferente do minuto em que eu me comparava com as outras crianças. Eu não estava no corpo certo. Tinha ciúmes das meninas”, diz ele, que já faz há dois anos terapia hormonal para se feminilizar.
Aposentado do boxe desde outubro do ano passado, Maloney conta que nunca havia falado sobre sua sexualidade antes por medo. “Você pode me imaginar andando em uma sala de boxe vestido como uma mulher? Eu posso até te dizer o que eles iriam gritar comigo. Mas se eu estivesse no teatro ou no mundo das artes ninguém ligaria para isso”, diz ele, que afirma estar sem interesse sexual em ninguém, no momento, e acrescenta: “A comunidade de boxe pode pensar o que quiser sobre mim agora”.
Nas redes sociais, muitos fãs do esporte comentaram com surpresa a revelação de Maloney. A maioria em apoio.

Menino de 9 anos sobrevive após lutar com jacaré em lago nos EUA

Menino nadou em local não permitido e ficou com 30 ferimentos pelo corpo após ser atingido três vezes.


James Barney Junior andava de bicicleta com seus amigos quando decidiu nadar no perigoso lago, em Thonotasassa, na quinta-feira. Segundos depois, ele foi atacado pelo jacaré.
"No começo, eu pensei que alguém estava brincando comigo", disse ele a jornalistas da cama do hospital onde permanece internado.
O menino ficou com 30 ferimentos pelo corpo após ser atingido três vezes pelo jacaré.
"Eu senti a mandíbula, os dentes. Eu não sabia o que fazer. Então, eu reagi imediatamente e bati nele algumas vezes. Então, finalmente, eu ainda tive força suficiente para abrir um pouco sua mandíbula", disse ele.
James mergulhou numa área onde não é permitido nadar.
Segundo médicos, ele não teria reclamado de dores após o incidente.
A região foi isolada enquanto funcionários tentavam capturar o animal. Eles disseram ter encontrado o jacaré na sexta-feira, mas que não conseguiram prendê-lo.

Porco tira uma onda surfando no Havaí e vira hit na web


Com o uso de uma câmera GoPro, o surfista Kai Holt registrou o momento em que surfava com seu porco de estimação Kama em Oahu, no estado do Havaí (EUA). Publicado na quarta-feira (6), o vídeo já superou a marca de 1 milhão de visualizações.