domingo, 24 de julho de 2016

Esse é o empresário dos novos tempos...

Travis kalanick (Uber criador)

Para quem não sabe, esse é um dos homens mais ricos do mundo atualmente, sua fortuna é baseada principalmente no suor de sangue de vários motoristas espalhados mundo afora, fazer o que não é mesmo, será que ele tá ligando para isso?? Será que ele consegue dormir com a consciência tranquila a noite? Acho que sim, pois é o tipo de pessoa que não tá nem aí pelo seu semelhante, ele tem o lema, quanto mais tem mais quer ter....dim.. dim ..dim ..dim ..dim...

Ele não passa de um adorador deste Capitalismo Selvagem dos dias atuais...

O capitalismo é a exploração do homem pelo homem.

O capitalismo é, do ponto-de-vista de sua prática, bem como da filosofia que o informa, radicalmente anticristão.

O capitalismo utiliza o trabalho humano em seu proveito, mas é incapaz de reverenciá-lo em sua dignidade intrínseca. Se o trabalhador não trabalha, por achar-se doente, torna-se duplamente desprezível: por ser trabalhador, e por não estar trabalhando.

O vício inerente ao capitalismo é a distribuição desigual de benesses.

No sistema do capitalismo selvagem a pobreza absoluta representa o inferno.

Sob o capitalismo o homem explora o homem.

O capitalismo é a crença mais estarrecedora de que o homem mais insignificante dos homens fará, um estrago estarrecedor sobre os seus semelhantes.

O capitalismo desrespeita - e despreza - o trabalho humano, tanto que o explora e coisifica, tornando-o instrumento a serviço da injustiça e da opressão. Se o trabalho é desprezado, o trabalhador também o é.

Os piores inimigos do capitalismo não são os socialistas e comunistas. São os capitalistas que abusam do capitalismo.

Numa sociedade como a nossa, de capitalismo selvagem, em que há um desencontro radical e desapiedado entre os interesses de ricos e pobres, o poder do Estado defende os ricos e oprime os pobres, milimétrica e sistematicamente.

As leis cegas do capitalismo, invisíveis para a maior parte das pessoas, agem sobre os indivíduos sem que este se aperceba. Ele não vê senão um vasto horizonte que lhe parece infinito.

A única maneira de disciplinar o capitalismo é através da luta social.

O Estado brasileiro não existe mais. Nem sequer para manter a lei e a ordem. Ele foi forte quando produziu um capitalismo, porém fraco para combater muitas injustiças quanto aos mais desfavorecidos, ou seja o povo.






Uber, nova tecnologia ou a velha filosofia igualitária?

Em São Paulo, por força de um decreto do Prefeito Fernando Haddad, aplicativos que até então se apresentavam como parceiros dos taxistas anunciaram que vão aceitar em suas plataformas carros particulares para o transporte remunerado de passageiros.
Debates, projetos de lei e matérias na imprensa falam em uma nova tecnologia que veio para ficar, mas não falam o óbvio: como fica toda a estrutura jurídica e técnica de uma profissão quase centenária, a dos taxistas?
Atualmente, essa “tecnologia” está afetando o serviço de táxi. Promove uma concorrência desleal, pois agrega todo e qualquer tipo de carro e motoristas em um único sistema que sempre se regulou, de acordo com as transformações e necessidades da sociedade. Em um futuro próximo, ainda veremos muitas outras profissões, igualmente importantes e respeitadas, serem deformadas e menosprezadas em nome de um avanço tecnológico.
Esse denominado avanço é muito diferente da automação da indústria automobilística da década de 90 e também diferente dos avanços tecnológicos que vemos na medicina, engenharia e nas telecomunicações. A tecnologia desses aplicativos está a serviço de uma filosofia que não agrega nada. Apenas desestrutura a sociedade, pois tem como fundamento a extinção do Estado Legal.
Falta um mês para o início da campanha para prefeitos e vereadores dos mais de cinco mil municípios brasileiros. Muitos desses candidatos argumentarão que os aplicativos vieram para ficar. E, em meio a tantos problemas, um será acompanhado com muita atenção pelos taxistas e todo sistema de transporte.
O que os taxistas de todo Brasil estão enfrentando não é simplesmente uma nova mudança que terão de se adequarem, como já fizeram em outras épocas. Trata-se de uma filosofia, adotada pelo aplicativo Uber, de um marketing agressivo, originado de uma antiga cartilha de um filósofo (Gramsci). Utiliza a estratégia de destruir o opositor, ora divulgando suas falhas, ora aumentando e até criando fatos que denigrem sua imagem.
A maior prova disso é o silêncio comprometedor e por vezes a omissão e até a prevaricação das autoridades do legislativo, executivo e do judiciário, que fingem desconhecer essa nova onda que vem do norte.

Escravidão de volta em pleno século 21...





É mole ou quer mais.........

Realidade de motorista é essa mesmo....Vamos morrer todo mundo junto abraçados..

video
Não é moleza não, essa é a realidade da vida mesmo de um motorista....

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Manifesto contra o descaso aos taxistas de Sampa e do Brasil


Meu jeito de manisfestar minha indignação com o descaso de nossas autoridades com relação ao serviço prestado pelos profissionais taxistas aqui em Sampa e em todo o país ...

Coloquei identificação antiga minha de taxista pra visualização do passageiro conforme foto abaixo:



Quando o passageiro me questiona quem é esse na foto?
Aí respondo: Sou eu e digo brincando, veja como tô mal acabado nestes 21 anos de praça, conforme foto abaixo:


Feito isso aí manifesto minha indignação com tudo que vem ocorrendo com nossa categoria, porque o que não falta é história de vida pra contar...

Tenho como provar conforme fotos dessas agendas abaixo que nunca nem férias eu tive em 21 anos de praça, somente 2 vezes em 1997 e 2012 fiquei mais de 20 dias em casa devido acidente de transito em meu táxi....


Resumo: Aí muita gente pensa que a vida de taxista é mil e uma maravilhas....aff...

Só Deus por nós...

Meus carros de praça em 21 anos:

De 1995 a 1997 tive um Fiat Prêmio ano 1992

De 1997 a 2002 tive um Corsa Sedan ano 1997

De 2002 a 2005 tive um Fiat Siena ano 2002

De 2005 a 2008 tive um Fiat Siena ano 2005

De 2008 a 2011 tive um Fiat Siena ano 2008

De 2011 a 2014 tive um Corsa Premium ano 2011

De 2014 até os dias de hoje tenho um Voyage ano 2014

Resumo:

Nesse tempo todo só trabalhei pra trocar de carro para dar o mínimo de conforto para os passageiros...ainda bem que a casa que moro comprei quando fui metalúrgico por 17 anos...

Ou seja... sempre fomos mal visto pela sociedade... porém agora estamos sendo marginalizados pela nossa sociedade e completamente ignorados pelos nossos governantes....pronto falei... desculpa o desabafo galera...😡